Tocando Relaxado

Tocando Relaxado: Eliminando as Tensões

 

“Tocar trompete é difícil porque é fácil”.
Charles Schlueter

 

A redução das tensões enquanto tocamos é ponto para ser cuidadosamente estudado. Tocaremos mais fácil se estivermos relaxados. Como ficam suas mãos, ombros, lábios e garganta quando toca? Principalmente: há tensão demasiada na coluna de ar? O excesso tensão quando nos direcionado ao registro agudo interrompe o fluxo de ar e impede a vibração dos lábios.

Devemos todos os dias exercitar a liberação o ar dos pulmões de maneira relaxada, como se estivesse respirando profundamente. Isso nos levará a tocar trompete de maneira suave e expressiva quando desejarmos.

A ansiedade tem sido a grande vilã de muitas performances nas salas de concerto. Dá para ler na face de muitos executantes: “Deus Poderoso, apenas não me deixe falhar no Mi bemol no começo da segunda página”. Em função disso a música inteira é comprometida. Em uma reportagem na Veja pôde-se ler que músicos de grandes orquestras estão lançando mão de medicamentos – beta-bloqueadores – para diminuir a taquicardia na apresentação. Outros se valem de bebidas alcoólicas ou outras drogas. Será possível controlar os males da ansiedade?

A ansiedade é disparada por pensamentos negativos com relação às habilidades técnicas na execução do intrumento. Tais sensações são potencializadas pelo medo e possibilidade de humilhação e percepção negativa que outros terão de nós após uma performance mal-sucedida. Tal quadro pode mesmo se agravar resultando em baixa auto-estima. Como contornar isto?

Execute a peça que está estudando incontáveis vezes num regime de regularidade e consistência. Confiança e convicção brotarão dessa prática; os sinais de preparação e capacidade são colhidos na sala de estudo. Veja-se tocando no lugar da apresentação muitas vezes. Feche os olhos visualizando a saída de casa no grande dia, chegando ao local da apresentação, aquecendo, ouvindo o burburinho dos presentes, entrando no palco, produzindo um bom som aos ouvintes, ouvindo os aplausos e a sensação de apreciação que a platéia terá. Mergulhe em pensamentos positivos.

O primeiro gerador de ansiedade é o despreparo. Não perca nenhuma oportunidade de estudar antes do recital ou apresentação. “Na hora sai” é para músicos medíocres. Caso tenha tocado bem nos ensaios e durante os estudos é muito provável que fará novamente. Se possível, grave a si mesmo antes da apresentação, ouça e faça ajustes. Convide um músico de confiança e toque para ele, ouça os conselhos com critério. Aqui vale lembrar Roger Voisin:

“Minha melhor recomendação é que ouçam seu professor e não outros estudantes”.

Estando preparado, aproveite a adrenalina liberada e canalize essa energia para o melhor. Você foi escolhido para estar naquele momento no palco, o que indica que é a pessoa mais indicada para essa tarefa. Ainda que estejam presentes na audiência outros trompetistas “melhores” que você, nenhum deles tem som com o teu nem fará uma interpretação como a tua. Mesmo bons profissionais experimentam um “frio na espinha” antes de suas apresentações.

Se uma reação do nervosismo for boca seca, experimente passar a ponta da língua nos dentes superiores

Não pense que os que estão assistindo vieram para pinçar os erros que porventura ocorrerão. Desejam se expor ao prazer único proporcionado por apresentações ao vivo. Não seja muito rígido consigo mesmo e não execute auto-análise quando estiver tocando. Estabelecer altos padrões é bom, mas se forem muito altos, é perigoso e cria medos.

Para performances com improvisos, estude e decore a harmonia aplicada. Cuide da alimentação no dia do concerto ou recital, se achar prejudicial, evite estimulantes como café, refrigerantes com cafeína e chocolate.

Para provas e concursos pratique com afinco. Memorize a música, ainda que vá ler na hora H. Descanse antes da apresentação. Coma com tranquilidade. Traga à memória o som produzido tantas vezes na sala de ensaio. Caminhe calmamente para o lugar onde se apresentará, caso tenha que subir escada, faça-o lentamente. Receba a apreensão e o medo com tranquilidade. Lembre da regra de ouro: respire vagarosa e profundamente. Transmita sua mensagem musical com o registro que a perfeição não é possível nem desejável. Caso erros aconteçam, esqueça e prossiga sem sofrer a dor do luto.

7 respostas para Tocando Relaxado

  1. Junior disse:

    Obrigado!

  2. Emerson dos Santos Urba disse:

    valeu, agora sim penso diferente ,isto foi um consolo.

  3. Diana Carvalho disse:

    Gostei 🙂 obrigada, quando estiver tensa vou me lembrar disso..

  4. Hudson Bomfim disse:

    tocarei agora bem tranquilo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s