O Combustível dos Instrumentos de Sopro

O Combustível dos Instrumentos de Sopro: o Ar

“Tocar trompete não é mais difícil que respirar profundamente” Claude Gordon

O trompetista deve ser capaz de tocar com energia e audácia, com um som encorpado e poderoso. Muitas vezes, ainda, alto controle é exigido. Para tal, há que desenvolver os músculos responsáveis pela inspiração e expiração. Um controle inteligente da respiração aumentará a vitalidade e resistência do músico. Respirando adequadamente na apresentação ou prática diária, teremos ainda maior oxigenação cerebral, o que garante clareza mental e frescor de idéias, calma e foco. Adolf Herseth comentou certa vez que todas as vezes que nosso som é bom, nossa respiração é boa.

O ar é o combustível que produz a vibração dos lábios cujo resultado é som que extraímos do instrumento. Isso implica que mais ar produz mais vibração que em última instância produz mais som. A demanda sobre o trompetista no que tange a respiração é muito acima daquela para as atividades cotidianas – exercitar-se é preciso, portanto. Mesmo um pequeno aquecimento com bocejos deliberados, inalando uma boa quantidade de ar e depois expirando audivelmente é uma boa prática.

Uma respiração imperfeita consiste, na maioria dos casos, numa respiração rasa, onde somente uma parte das células dos pulmões desempenha seu papel, numa respiração que não usufrui a plena capacidade dos pulmões.

Tente o seguinte exercício e tire suas conclusões:

Inspire abundantemente e então tensione os músculos (punhos, braços e ombros). Em seguida, exploda a tensão e o ar exalando. Qual a sensação?

Respirar corretamente não só faz bem à pratica do trompete, mas à vida. Quando respiramos profunda e naturalmente – da maneira que os recém-nascidos fazem – tudo se move: diafragma, peito, costelas, abdômen e costas; é como que uma massagem interna sendo realizada. Quando inalamos, o diafragma faz massagem nos rins, baço e fígado. Quando exalamos, ele massageia os pulmões e coração. Diz-se que o sistema linfático, que é responsável pela desintoxicação do corpo, é também estimulado. Respiração rasa faz o corpo aberto para enfermidades. Quanto mais oxigênio dispensamos às células, mais saudáveis e vivas elas se tornam. Respiração profunda estimula as células do cérebro, aumentando a criatividade e o poder de concentração. Quando respiramos bem, nossa energia aumenta, o stress diminui (nada pode acalmar os nervos tão rápido quanto a respiração profunda), dormimos melhor, temos mais resistência. Tudo em nosso organismo é afetado pela respiração.

O aspecto físico mais importante da prática do trompete é a respiração. Som, controle, dinâmica, tessitura e tudo mais está ligado à respiração e ao fluxo de ar, particularmente. A qualidade do nosso fluxo de ar determina a qualidade da nossa prática trompetística. Leia atentamente o que Rafael Mendez falou sobre esse assunto.

“Como músicos que executam instrumento de metal, temos diferentes problemas e diferentes prazeres em relação a executantes de outros instrumentos de sopro, mas uma coisa que compartilhamos com eles é a produção e controle daquela força vital que gera o som e classifica nossos instrumentos na mesma classe: SOPRO” Rafael Mendez

Quatro Métodos de Respiração

  1. Respiração Alta
  2. Respiração Média
  3. Respiração Baixa
  4. Respiração Completa

A Respiração Alta é também conhecida como clavicular. Alguém que respira dessa maneira eleva as costelas e levanta a clavícula e o os ombros, retraindo ao mesmo tempo o abdômen e empurrando seu conteúdo contra o diafragma, que também se eleva. É o pior tipo de respiração, pois requer o máximo de energia com o mínimo de benefício.

A Respiração Média é também conhecida como intercostal. Nesse tipo também o diafragma é empurrado para cima com o abdômen contraído. As costelas se elevam e o peito é parcialmente expandido.

A Respiração Baixa é a respiração funda. Esse talvez seja o tipo mais ensinado para músico de instrumentos de sopro em geral como respiração diafragmática [1].

A Respiração Completa é o tipo mais indicado pelos praticantes de yoga e usado por trompetistas como Maynard Ferguson. Em quase todas as aulas, cursos e masterclasses com proeminentes trompetistas brasileiros, eles explicitam os benefícios da Respiração Completa. Esse tipo de respiração inclui os pontos fortes dos três tipos anteriores. Ele coloca em atividade todo aparelho respiratório. A cavidade peitoral é expandia em todas as direções.

A Respiração Completa

É compensador adquirir a habilidade de praticar a Respiração Completa como o método natural de respiração. Deve-se empregar alguma diligência para estar plenamente consciente dela. A Respiração Completa não consiste em uma prática forçada, anormal, contrária à natureza.

Três Excelentes Exercícios

“Controle adequado do ar é 98% do tocar bem o trompete” Herbert L. Clarke

Exercício 1 – Parado

 1. Fique em pé contra uma parede com os ombros para trás e o peito erguido.

2. Inspire lentamente pelo nariz até que os pulmões estejam confortavelmente cheios enquanto mantém o peito erguido.

3. Deixe o ar sair pela boca, mas NÃO DEIXE O PEITO CAIR.

4. Repita a série cinco vezes e gradualmente, com o passar do tempo, vá aumentando até atingir dez repetições.

5. Pratique esse exercício várias vezes durante o dia até que manter o tórax erguido enquanto respira comece a ser natural.

Exercício 2 – Andando

 1. Ande com um ritmo confortável, nunca tenso (de preferência numa pista de corrida) – Em cada passo tome pelo nariz uma pequena quantidade de ar para dentro dos pulmões. Faça de tal modo que esteja cheio no quinto passo (peito erguido).

 2. Ande mais cinco passos mantendo o PEITO ERGUIDO e os pulmões plenos.

 3. Ande mais cinco passos permitindo que o ar saia pela boca. Faça de tal modo que esteja vazio no quinto passo (Peito continua erguido).

 4. Ande mais cinco passos mantendo os pulmões vazios e o peito erguido.

 5. Repita o ciclo por dois ou três quarteirões. Descanse entre alguns ciclos quando precisar (sentirá fadiga ou dor em diferentes músculos), mas trabalhe para fazer todo o percurso sem parar os ciclos.

 6. A cada semana adicione uma tomada de ar até que atinja

DEZ PASSOS INALANDO,

DEZ RETENDO O AR,

DEZ EXALANDO,

DEZ COM PULMÕES VAZIOS.

Quando estiver andando com o ciclo de dez respirações uma boa quantidade sem deixar o peito cair, vá para o exercício 3.

Exercício 3 –  Correndo

 1. Volte a fazer o ciclo de cinco respirações correndo ao invés de andando.

 2. Tente paulatinamente chegar ao ciclo de dez respirações.

 3. Quando estiver correndo com o ciclo de dez respirações uma boa quantidade mantendo o PEITO ERGUIDO, terá adquirido o hábito de manter o tórax confortavelmente erguido enquanto respira.

Observe essa figura extraída do atlas de anatomia utilizado nos cursos de medicina (Netter) e veja os músculos responsáveis pela respiração.

Doze Ótimos Exercícios Respiratórios

Li uma ou duas entrevistas com Maynard Ferguson, onde, quando perguntado sobre respiração, citou um livro, que, segundo ele, o ajudou grandemente nesse sentido – “The Hindu-Yogi SCIENCE OF BREATH By Yogi Ramacharaka”. Muitos dos conceitos e exercícios seguintes foram adaptados à partir desse livro.

EXERCÍCIO UM

Exercício para aprendizagem da Respiração Completa
  1. Fique em pé ou sente-se de maneira ereta. Inspire pelo nariz, inalando de forma constante, enchendo a parte inferior dos pulmões –  a ação do diafragma, cujo movimento descendente exerce leve pressão sobre os órgãos abdominais, empurra para frente as paredes frontais do abdômen.
  2. Continue enchendo a região média dos pulmões, empurrando para fora as costelas inferiores, o esterno e o peito.
  3. Prossiga enchendo a porção alta do pulmão, projetando a parte superior do peito, as costelas superiores. Neste último movimento, a região inferior do abdômen se contrairá  levemente. Este movimento proporciona ao pulmão um suporte e auxilia no preenchimento das partes superiores do pulmão. Os passos 1, 2 e 3 não consistem em três movimentos quantizados, separados. O processo todo deve ser contínuo num movimento uniforme. Uma série de sacudidelas deve ser evitada
  4. Segure o ar por alguns segundos
  5. Exale bem vagarosamente, mantendo o peito numa posição firme, encolhendo e erguendo um pouco o abdômen enquanto o ar é expelido. Quando o ar for completamente exalado, relaxe o peito e o abdômen.

O processo todo pode ser feito inicialmente em frente a um espelho, colocando as mãos suavemente na barriga para sentir os movimentos.

EXERCÍCIO DOIS

Respiração para Resistência Pulmonar

O exercício a seguir é excelente para ser usado como conclusão de outros exercícios de respiração e como um meio de ventilar e limpar os pulmões. Seu efeito é de tonificar os órgãos respiratórios. Certamente é  de grande valor não só para o trompetista, mas também para outros instrumentistas de sopro, cantores e pessoas que trabalham com a voz.

 

  1. Faça uma Inspiração Completa.
  2. Segure o ar por alguns segundos.
  3. Faça um “bico” com os lábios como se fosse assoviar – mas não faça bochechas.
  4. Exale um pouco de ar pela abertura, com considerável vigor – esse é o ponto importante.
  5. Pare por um momento, retendo o ar.
  6. Exale mais ar e repita o processo até o ar seja completamente exaurido.

Podemos continuar a exercitar a expiração com um auxílio de uma folha de papel. Inicialmente podemos usar uma folha de caderno pequena.   É interessante amassar a folha um pouco para aumentar o atrito.

  1. Colocando a folha na parede, na altura da boca, assopra-se bem no meio da folha.
  2. Retira-se a mão e tenta-se mantê-la imóvel o maior tempo possível.

Vários tamanhos de papel e várias distâncias deste equivalem a várias dinâmicas e diferentes regiões – grave/agudo – enquanto tocamos (uma folha pequena à curta distância equivale uma nota aguda e piano – uma folha grande à grande distância equivale uma nota grave e forte)

EXERCÍCIO TRÊS

Respiração para Expansão da Capacidade Pulmonar

É indicado para a expansão peitoral, mas tem inúmeros benefícios em outras áreas. Faça esse exercício sem exageros.

  1. Fique em pé de maneira ereta.
  2. Faça uma Inspiração Completa.
  3. Retenha o ar nos pulmões tanto tempo quanto você for capaz de fazê-lo confortavelmente.
  4. Exale vigorosamente pela boca.
  5. Faça o EXERCÍCIO 2.

 

EXERCÍCIO QUATRO

Respiração Estimulante

Esse exercício é designado para estimular as células nos pulmões. Não deve ser feito com muito vigor. Se sentir alguma tontura nas primeiras tentativas, dê uma pequena caminhada e descontinue e exercício por algum tempo. Evite exageros.

  1. Fique em pé de maneira ereta, com as mão nos lados.
  2. Inale muito vagarosa e gradualmente.
  3. Enquanto estiver inalando, bata gentilmente no peito com a pontas dos dedos, mudando constantemente de posição.
  4. Quando estiver com os pulmões cheios, retenha o ar e dê tapinhas no peito com as palmas da mão.
  5. Faça o EXERCÍCIO 2

EXERCÍCIO CINCO

Respiração para Mobilidade das Costelas

As costelas admitem considerável mobilidade. Esse movimento tem importante papel na respiração adequada. O exercício seguinte é destinado à preservação dessa elasticidade. Como sempre, evite exageros!

  1. Fique em pé.
  2. Coloque as mãos nos lados do tronco, tão alto em direção das axilas quanto conveniente, com os polegares apontando para as costas, as palmas ao lado do tórax e os dedos na direção do peito.
  3. Faça uma Inalação Completa.
  4. Segure o ar por um pouco de tempo.
  5. Suavemente pressione os lados, ao mesmo tempo exale de maneira vagarosa.
  6. Faça o EXERCÍCIO 2

EXERCÍCIO SEIS

Exercício Para Expansão Pulmonar

 

Não exagere com esse exercício.

  1. Fique em pé.
  2. Faça uma Inalação Completa.
  3. Segure o ar.
  4. Estique os braços para frente como os punhos cerrados em unidos em linha reta com os ombros.
  5. Mova os braços para os lados vigorosamente até que estejam rente com os ombros (corpo em “T”).
  6. Volte para a posição 4.
  7. Repita várias vezes esse movimento e então exale vigorosamente pela boca.
  8. Faça o EXERCÍCIO 2.

Variação (1)

No movimento dos braços para trás [passo (5)], faça-os ir nessa direção tanto quanto possível.

 

 

 

Variação (2)

Faça movimentos circulares para trás algumas vezes. Mude então, e faça movimentos circulares para frente. Varie, movimentando como se estivesse nadando.

 

EXERCÍCIO SETE

Exercício Respiratório Caminhando

Esse exercício e as variações dele, pela sua importância já foram introduzidos anteriormente.

 

  1. Caminhe com a cabeça erguida, queixo inclinado LEVEMENTE em direção ao peito, com passadas constantes.
  2. Faça uma Inalação Completa enquanto conta mentalmente de 1 a 8, uma contagem para cada passo, fazendo a inalação se realizar durante os 8 passos.
  3. Exale contando outros 8 passos.
  4. Descanse entre os ciclos, continuando a andar e contar de 1 a 8, uma contagem para cada passo,
  5. Repita até que esteja cansado. Comece novamente, se desejar.

Uma variação é segurar o ar durante 4 passos e então exalar durante 8

EXERCÍCIO OITO

Respiração Matinal

Já vi bons trompetistas indicar esse exercício e testemunhar que o realizava antes de sair de casa para os ensaios.

  1. Fique pé, em posição de sentido, cabeça erguida, olhando para frente, ombros para trás, joelhos retos e mãos aos lados do corpo.
  2. Erga o corpo vagarosamente nas pontas dos pés, fazendo uma Inalação Completa vagarosa e continuamente.
  3. Segure o ar por alguns segundos enquanto mantém a mesma posição.
  4. Volte à posição inicial enquanto exala pelo nariz.
  5. Faça o EXERCÍCIO 2.

Tente fazer usando só a perna direita e então a esquerda

EXERCÍCIO NOVE

Espreguiçando
  1. Fique em pé com as mãos ao lado do corpo.
  2. Faça uma Inalação completa.
  3. Levante os braços lentamente, mantendo-os rígidos, até que as mãos se toquem acima da cabeça.
  4. Retenha o ar por alguns instantes com as mãos assim, acima da cabeça.
  5. Abaixe as mãos lentamente para a posição original enquanto exala lentamente.
  6. Faça o EXERCÍCIO 2

 Variação 1

  1. Inspire enquanto conta de 1 a 6
  2. Enquanto inala, levante os braços em movimento contínuo, até que as mãos se toquem acima da cabeça exatamente quando atingir a plena capacidade dos pulmões.
  3. Comece a exalar imediatamente recomeçando a contagem.
  4. Desça os braços enquanto exala também contando de 1 a 6 até que estejam do lado do corpo com o fim da contagem e expiração.
  5. Com a prática, aumente a contagem para 7, 8, 9, 10 e tanto quanto puder (que tal usar um metrônomo? Faça 60 semínimas por minuto e conte com as semínima como pulso). Tenha em mente que é possível fazer com 30 pulsos para cada movimento ou até mais. Sempre tenha uma atitude relaxada.

 Variação 2

A idéia aqui é advogada por Arnold Jacobs ex-tubista da Chicago Symphony Orchestra.

  1. Encha os pulmões enquanto conta de 1 a 5. Durante o processo levante os braços (como no exercício anterior)
  2. Quando atingir o 5, os braços caem imediatamente (sem exalar).
  3. Retenha o ar com a garganta aberta.
  4. Exale gradualmente
  5. Faça esse exercício em frente ao espelho com 6 repetições.
  6. Depois de uma semana, realize com três contagens apenas.
  7. Mais uma semana e faça tudo em uma contagem

EXERCÍCIO DEZ

Flexões diferentes
  1. Deite de bruços no chão com as mãos dos lados do corpo e palmas voltadas para o chão (posição de apoio).
  2. Faça uma Inalação Completa e retenha o ar.
  3. Enrijeça o corpo e levante-se com a força dos braços até que fique apoiado nas mãos e pontas dos pés.
  4. Volte à posição original e repita o processo várias vezes.
  5. Exale vigorosamente pela boca.
  6. Faça o EXERCÍCIO 2

 

EXERCÍCIO ONZE

Outra flexão diferente
  1. Fique em pé com as mãos contra a parede com se fosse empurrá-la.
  2. Faça uma Inalação Completa e retenha o ar.
  3. Abaixe o peito em direção à parede, apoiando o peso do corpo nas mãos.
  4. Levante de volta à posição original usando apenas os músculos do braço, mantendo o corpo enrijecido.
  5. Exale vigorosamente pela boca
  6. Faça o EXERCÍCIO 2

EXERCÍCIO DOZE

Akimbo
  1. Fique em pé com as mãos na cintura e cotovelos para fora.
  2. Faça um Inalação Completa e retenha o ar.
  3. Mantenha as pernas e coxas enrijecidas e dobre bem para frente, como se fosse fazer uma saudação japonesa enquanto exala vagarosamente.
  4. Volte à posição original e faça outra Inalação Completa.
  5. Curve-se, então, para trás exalando lentamente.
  6. Retorne à posição original e faça uma Inalação Completa.
  7. Curve-se para os lados, exalando vagarosamente.
  8. Faça o  EXERCÍCIO 2.

 

O Arqueiro, o Lançador de Dardos e o Arremessador de Aviões de Papel: Três Exercícios, Três Dinâmicas

  1. Imagine-se um arqueiro. Enquanto inala, faça a mímica de puxar esticar a corda do arco com a flecha. Atire em um alvo distante, liberando o ar com vigor. Dinâmica fortissimo!
  2. Para arremessar um dardo em um alvo, posicione a mão próxima à orelha (enquanto inspira). Lance com precisão enquanto expira. Mezzo Forte!
  3. Para lançar um avião de papel os movimentos são mais delicados. Pianissimo!

 


[1] Leia no próximo capítulo o texto O Trompetista no País das Maravilhas – O Mito da Respiração Diafragmática.

34 respostas para O Combustível dos Instrumentos de Sopro

  1. Fernando Figueiredo disse:

    Incrível material este a respeito de respiração , só vi conteúdo semelhante nas aulas de respiração quando estudava Sax ( ainda estudo ).
    Atualmente me dedico mais ao Trumpete , me apaixonei pelo instrumento, simples na concepção, sofisticado nos recursos e execução, altamente exigente com o músico que se aventura a toca-lo

  2. David de Souza Lima disse:

    Abdalan da Gama obrigado por esclacer minhas principais dúvidas achei esse site comecei a ler e não consigo mais parar; é muito coisa boa em um lugar só!!!
    Achei otimo você colocar frases, pensamentos, pesquisas cientificas desses grandes Trompetistas que ajudaram a criar esse som lindo e perfeito que podemos apreciar hoje, Isso também torna as informações super confiaveis não nos deixando duvida de seguir o proposto pelo site.

    Obrigado e continue com esse trabalho

  3. jader disse:

    isso deveria ser dito nos cursos para musicos de bandas marciais pra acabar com o dogma de que o diafrágma é o orgão resposavel da respiração

  4. daniel de olivera santos disse:

    adorei.

  5. Enife Costa disse:

    Grande abdalan!! Deus o abençoe por compartilhar tanto conhecimento com nós Trompetistas!!
    Muito obrigado, espero um dia conhece-lo pessoalmente. Abraços!

    • Enife, obrigado. Que as bênçãos do céu também te cumulem. Será um prazer conhecê-lo pessoalmente. Eu estava morando até ontem em Vitória da Conquista. Voltei para São Carlos, aqui no interior de São Paulo. Entre em contato quando passar por aqui.

  6. islander disse:

    parabens abdalan,vc esclareceu minhas duvidas e de muitos musicos…parabens..

  7. Emerson dos Santos Urba disse:

    Esses exercicios é uma mina de ouro para os metaleiros como nós. Valeu.

  8. cristiano disse:

    esses exercicios são validos para qualquer tipo de instrumento de sopro…ou só para o trompete?

    • Respirar corretamente é importante para tocar bem instrumentos de sopro de qualquer espécie… mas espere, respirar bem é importante para viver bem! Um abraço Cristiano.

  9. cristiano disse:

    pois eu estou aprendendo a tocar sax tenor…..

  10. KLEBER disse:

    Obrigado por estes exercícios,
    vai me ajudar muito a desenvolver minha coluna de ar!

  11. machado disse:

    ola, tudo abdalan entao, vou começar a estudar este seu metodo achei muito interessante!! toco trumpete e precisava de mais dicas. um abraço

  12. Gutemberg disse:

    Realmente as técnicas são vitais para uma pessoa que estuda trompete, pois o ar para o trompete é como sangue para nós. A analogia pode ser um pouco engraçada mas se observarmos dessa forma daremos mais valor a essas técnicas, pois a maioria das dificuldades de tocar trompete é justamente o menosprezo das técnicas e o aperfeiçoamento da capacidade de armazenar eficientemente o ar utilizando toda a musculatura da caixa torácica e também fazer com que o ar expirado flua de maneira uniforme para o trompete. O resultado dessa preocupação podemos perceber em um grupo bastante conhecido que é o german brass.

  13. jaime silva disse:

    Parabens, vc tem nos ajudado muito

  14. Rodrigo Silva disse:

    Abdalan, parabéns! Excelente material para estudos e exercícios que possibilitam o melhor funcionamento dos órgãos responsáveis pela nossa respiração. Como disse em uma das respostas: Respirar bem para viver bem!
    Muito bom…
    Abraços…

  15. Bom dia! posso publicar este artigo no blog da minha banda? http://bandamusicaldedoiscorregos.com/

  16. Romeu disse:

    Percebi que para aprender a Respiração completa devo seguir os 3 exercícios bem acima descritos, e já na sequência tem uma série de 12 exercícios. Esses exercícios também são necessários para aprender a Respiração Completa ou são opcionais?

  17. Vanderlei Aparecido da Silva disse:

    Obrigado pelas ricas informações, isso nos ajuda e dão claras certezas da importância do uso correto da respiração para tocar trompete ou qualquer outro instrumento de sopro.

    Abraço

    Vanderlei aparecido da Silva

    Banda da guarda Mirim de Foz do iguaçu PR

  18. Tiago da Silva disse:

    Deus te abençoe, por dividir tais conhecimentos sem pedir nada em troca…Grato.

  19. Andressa disse:

    Olá, meu nome é Andressa e estou no momento montando um artigo que fala sobre músicos e me interessei sobre seus exercícios mas para que eu possa citar os mesmos necessito do ano em que você publicou esse livro… Desde já agradeço sua atenção.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s